domingo, maio 26 Notícias do Brasil e do Mundo, 24h por dia

Ney Matogrosso canta Djavan

Ney Matogrosso participa de álbum em homenagem ao compositor Cacaso: música Lambada de Serpente, com lançamento para dia 9 de fevereiro, antecede o lançamento do álbum Cacaso 80 Anos em março
Ney Matogrosso solta a voz no estúdio na gravação de ‘Lambada de serpente’ (Djavan e Cacaso, 1980) para o disco ‘Cacaso 80 anos’ — Foto: Divulgação / Kuarup

♪ Um dos grandes compositores da MPB, Djavan quase nunca foi gravado por Ney Matogrosso, intérprete da mesma dimensão do artista alagoano.

Descontado o registro coletivo da música Luz do mundo (Djavan, Caetano Veloso, Chico Buarque e Arnaldo Antunes) para o single beneficente Se essa rua fosse minha (1991), idealizado pelo sociólogo Betinho (1935 – 1997), há somente a gravação de Nobreza (1982) feita por Ney em duo com o pianista Luiz Avellar para o Songbook Djavan (1997).

Por isso mesmo, a participação do cantor no álbum Cacaso 80 anos ganha relevância adicional. Ney escolheu cantar Lambada de serpente (1980) – parceria de Djavan com Cacaso lançada por Djavan no álbum Alumbramento (1980) – no tributo produzido por Renato Vieira e programado para ser lançado em 7 de março pela gravadora Kuarup.

Primeira conexão de Ney com a obra poética de Cacaso, a gravação de Lambada de serpente foi feita com piano, arranjo e direção musical de Alexandre Vianna, além dos toques dos músicos João Benjamin (baixo acústico) e Kabé Pinheiro (bateria e percussão).

Como o título Cacaso 80 anos já explicita, o disco foi idealizado por Renato Vieira para festejar postumamente o 80º aniversário de Antônio Carlos Ferreira de Brito (13 de março 1944 – 27 de dezembro de 1987), o poeta e compositor mineiro conhecido artisticamente como Cacaso.

Além de Ney Matogrosso, cuja faixa será apresentada antes do álbum em single agendado para 9 de fevereiro, participam do tributo artistas do porte de Edu Lobo.

Alaíde Costa canta Dentro de mim mora um anjo (Sueli Costa e Cacaso, 1975). Cláudio Nucci revive As coisas, parceria de Nucci com Cacaso lançada em 1984. Filó Machado espalha novamente Perfume de cebola (1984), parceria de Filó com Cacaso apresentada há 40 anos em disco do coautor da música.

Joyce Moreno revisita Gente séria (Joyce Moreno e Cacaso,1982) com letra inédita, diferente da gravada por Emílio Santiago (1946 – 2023) no álbum Ensaios de amor (1982). Leila Pinheiro dá voz a Triste Baía da Guanabara, parceria de Novelli com Cacaso gravada por Djavan no mesmo álbum Alumbramento que apresentou Lambada de serpente. Já Toquinho e Camila Faustino revivem juntos Francamente (1980), parceria de Toquinho com Cacaso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *