segunda-feira, maio 27 Notícias do Brasil e do Mundo, 24h por dia

Varizes: angiologista explica o que são e por que elas pioram com as altas temperaturas

Na estação mais quente do ano, as pessoas que sofrem com incômodos das varizes, como pernas inchadas, dores intensas e câimbras noturnas tendem a observar uma piora no quadro. Segundo um estudo da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), durante o verão, as queixas desses sintomas na perna crescem de 20% a 30%. Ainda segundo a entidade, em média, a cada hora, seis mulheres são submetidas a cirurgias apenas na rede pública.

Diante deste cenário, o angiologista e cirurgião vascular, Dr. Ronald Fidelis, explica que as varizes dos membros inferiores são uma doença circulatória, que se caracteriza pela dilatação permanente e irreversível das veias superficiais. “Portanto, não se trata de uma obstrução das veias, mas sim de uma dilatação, que faz com que o sangue venha a fluir de forma mais lenta nesses vasos”, explica.

Já sobre o aumento dos sintomas durante o verão, o especialista observa que as veias são responsáveis por trazer de volta o sangue dos tecidos e órgãos para o coração, para que seja realizada a oxigenação do pulmão e volte novamente para tecidos e órgãos.

 Dr. Ronald Fidelis
Dr. Ronald Fidelis

“Assim vemos que nossas veias são responsáveis por fazer essa drenagem daqueles líquidos para o coração. No entanto, durante o verão, ocorre uma vasodilatação maior por causa do calor mais acentuado, fazendo com que o sangue circule mais lentamente por essas veias. Com isso, essa circulação mais lenta vai levar uma sobrecarga à nossa circulação venosa. Logo, a drenagem do sangue que vai retornar ao coração vai ocorrer de forma mais lenta, e se acumula em nossas extremidades, principalmente as inferiores, porque ficamos muito tempo sentados ou em pé”, aponta.

Dr. Ronald destaca que a drenagem mais lenta é responsável por causar um maior acúmulo de líquidos nos membros inferiores, causando uma sensação de inchaço e edema.

“Além do edema, temos uma sensação de calor, de peso dessa região, servindo como um sinal de alerta para que aquela pessoa que aumentou os sintomas nos membros inferiores, procure um especialista, que pode ser um angiologista ou um cirurgião vascular”, ressalta. 

Sintomas

Em relação aos sintomas de varizes, o angiologista explica que, em alguns casos, elas podem ser assintomáticas, mas na maioria das vezes, o paciente terá a sensação de edema, de inchaço nos membros inferiores, além da sensação de peso, ardência e o queimor nas pernas, principalmente. Já em casos mais graves, pode ocorrer até a formação de feridas.

“Quando a gente não trata direito essas varizes, isso pode se agravar cada vez mais e levar à formação de feridas, que chamamos de úlceras varicosas, de difícil cicatrização. Às vezes o paciente apresenta úlceras por meses ou até anos, sem conseguir cicatrizar. Isso leva também a um problema social em relação ao trabalho dessas pessoas”, indica.

Outro quadro possível, segundo o médico, que pode ser decorrente das varizes, é a formação da trombose venosa. “A gente tem que se preocupar muito, em pessoas que tem varizes, principalmente, aquelas varizes mais volumosas, quando apresentam um quadro de edema mais acentuado em um membro único”, aponta.

“É sempre importante chamar a atenção que, ao observar o aumento dos sintomas no verão, as pessoas devem buscar um angiologista, um cirurgião vascular para fazer uma avaliação”, complementa. 

Tratamento

Já com relação ao tratamento para as varizes, Dr. Ronald chama a atenção para a existência de alguns tratamentos, como o cirúrgico, que consiste na retirada das veias varicosas, ou seja, as veias que estão dilatadas.

“Pode ser a cirurgia aberta convencional ou através até de um cateter com radiofrequência ou laser. Temos também hoje, para aquelas varizes volumosas, tratamentos com espumas que chamamos de ‘tratamento de espuma densa’. Nela, nós injetamos um líquido dentro desses vasos, para fazer com que eles sequem, desapareçam”, explica.

Segundo o médico, nos casos dos vasos menores, arroxeados e avermelhados, o tratamento é a escleroterapia.

“É um tratamento muito utilizado, e que tem resultados excelentes. É importante também ressaltar que temos tratamentos medicamentosos, que aliviam sem dúvidas nenhuma os sintomas, além do uso de meia elástica que é muito importante para prevenção e melhora dos sintomas”.

Fatores de risco

De acordo com o cirurgião vascular, o fator genético e hereditário é o principal deles.

“Podemos falar também de outros fatores: no sexo feminino, por exemplo, a prevalência é maior. A gravidez também pode levar ao surgimento das varizes nos membros inferiores, além da idade avançada, o excesso de peso, pessoas que passam muito tempo em pé ou sentadas, sem fazer atividades físicas, sem levantar ou caminhar, tudo isso  contribui para o surgimento de quadros varicosos”, lista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *