quinta-feira, julho 25 Notícias do Brasil e do Mundo, 24h por dia

MUITO VENTO, POUCA ÁGUA

Os parques eólicos em Portugal continuam a bater recordes, com mais energia sendo gerada em 16 de janeiro do que no dia recorde anterior, 17 de outubro de 2023

A energia produzida a partir do vento em 16 de janeiro de 2024 representava 63% das necessidades totais de eletricidade de Portugal, segundo a REN, o operador nacional da rede. No mesmo dia, o vento juntamente com outras fontes renováveis ​​geraram 88% do consumo nacional e local de eletricidade. Esta é uma conquista altamente louvável quando tantos outros países estão a produzir muito menos na batalha contra as alterações climáticas.

Em todo o mundo, uma maior utilização da energia eólica e solar, bem como os avanços na produção de hidrogénio verde, são vitais na transformação dos combustíveis fósseis. Prevê-se que a energia eólica aumente significativamente nos principais países, com o Canadá, os Estados Unidos, a China, a Índia e o Reino Unido a aumentarem as suas capacidades offshore.

Espera-se também que os países em desenvolvimento sigam o exemplo de Portugal e adoptem rapidamente políticas de energias renováveis. Tal como nos principais países, grande parte desta situação foi revigorada por uma maior procura de energia e por uma maior sensibilização para os impactos destrutivos das alterações climáticas. Partes de Portugal e outras partes da União Europeia têm vivido secas graves ou extremas. Isto aumentou a urgência de um plano da UE para promover a disponibilidade de água através de tecnologias de gestão, afirma a Ministra da Agricultura portuguesa, Maria do Céu Antunes.

MUITO VENTO, POUCA ÁGUA
MUITO VENTO, POUCA ÁGUA

Ela teria apresentado uma lista de propostas numa recente reunião dos ministros da agricultura do Conselho da UE para implementar medidas como a redução das perdas de água nos sistemas de distribuição, a optimização das infra-estruturas de armazenamento e transporte, a redução da água para fins não potáveis ​​nos sectores urbano, turístico, industrial e agrícola. setores e investindo em usinas de dessalinização. A Comissão Europeia lançará uma Iniciativa de Resiliência Hídrica em março. Incluirá uma série de ações imediatas e um debate público sobre como alcançar a resiliência hídrica.

Segundo o Observatório Europeu da Seca, referido nas propostas portuguesas, cerca de 42% da Europa continental está em estado de alerta e cerca de 8% em estado de alerta, com um cenário particularmente preocupante nos países do sul da UE, que são assolados por prolongada escassez de água. Espera-se que as medidas futuras sejam financiadas tanto pela Comissão da UE como por empresas privadas. Tudo isto será tranquilizador, especialmente para os agricultores, mas também para os utilizadores domésticos comuns de água, que serão ameaçados pela redução do abastecimento e pelo aumento dos custos.

Fonte -Algarve Daily NewsEscrito por  Len Port  – Foto cortesia de Depositphotos.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *